Todas as pessoas vivem como se nunca fossem desaparecer um dia. A verdade é que quando a gente aprende a morrer, aprende a viver, começa a caminhar brandamente pela vida. Que significado tem a família para você? Quando minha mãe faleceu, eu senti a falta de segurança espiritual, em que o olhar, o tom de voz, o calor do corpo, não estavam mais ali. Nada na vida substitui essa segurança, nada!

E os filhos, que significado tem? Não existe emoção comparável a de ter filhos, nada substitui essa experiência, ela é ímpar. A frase de Mitch Albom é verdadeiramente digna de ser citada: “Quem quiser experimentar a emoção de assumir responsabilidade total por outro ser humano e aprender a amar e a dedicar no grau mais alto, precisa ter filhos”.

Conta uma lenda da tradição sufi que uma mulher muito pobre, com uma criança no colo, passou diante de uma caverna e escutou uma voz misteriosa que lá de dentro lhe dizia:

- Entre e apanhe tudo o que você desejar, mas não se esqueça da semente.

A mulher entrou na caverna e encontrou muitas riquezas. Fascinada pelo ouro e pelas jóias, pôs a criança no chão e começou a juntar, tudo o que podia no seu avental. A voz misteriosa falou novamente:

- Você agora tem pouco tempo.

Esgotado o tempo, a mulher carregada de ouro e pedras preciosas correu para fora da caverna e a porta se fechou. A criança lá ficara e a porta estava fechada para sempre! A riqueza durou pouco, mas o desespero persistiu.

Nossas sementes são nossos amigos, nossos familiares, as pessoas que amamos, nossos sonhos, nossa fé, nosso trabalho, nosso compromisso com a vida; mas vamos ao mundo e enchemos nossa sacola com fatos que nos fazem esquecer de nossos verdadeiros tesouros e de nós mesmos. Apesar do Universo constantemente sussurrar em nossos ouvidos: - Não se esqueça da semente, terminamos por esquecê-la. Quando a porta se fecha é tarde; e ela se fecha no momento em que nos perdemos, trocando nossa sacralidade pela vaidade do ego e deixando trancadas para sempre dentro da caverna da existência as coisas que mais amamos.

Não se esqueça da semente...

Magda Vilas-Boas adaptado de Mitch Albom